23º Jogos Centro-Americanos e Caribe em Barranquilla

Então Amandine, você passou três semanas deste verão na Colômbia. Por quê?            

Sim, a AFP-Services me enviou para a cobertura dos 23º Jogos Centro-Americanos e Caribe em Barranquilla, jogos olímpicos regionais da América Central. Nosso cliente foi o Comitê Olímpico Colombiano.

Parece que não foram exatamente férias. Como foi a realização deste trabalho?

Eu trabalhei 21 dias consecutivos, de 19 de julho a 5 de agosto, com 6 fotógrafos colombianos. Os dias foram bem longos: você sabe quando o dia começa, mas não sabe quando ele termina. Todos os dias nós cobrimos o máximo de equipes. Foram 4 fotógrafos em Barranquilla, 1 em Cali e  1 em Bogotá. O objetivo era editar pelos menos 200 fotos por dia para distribuir na plataforma www.afpforum.com.

No início ocorreram vários problemas técnicos, mas é normal para um evento deste tamanho. A logística era complexa.   Foi muita pressão, mas no final não ficou problema sem a devida solução.

Verdade! Você acredita que o cliente ficou satisfeito?

Sim, ficaram encantados. Ao término, nós havíamos publicado 2.000 fotos ao invés de 1.000, como havido sido planejado. E, também, ocorreram bastantes baixas das imagens no AFP Forum, o que significa um grande sinal de sucesso.

Algo que queira acrescentar? Um fato interessante, uma lição que aprendeu?

Uma estória bem curiosa foi que durante a cerimonia de abertura eu não pude encontrar meu contato em meio à multidão do estádio e a rede estava saturada. Eu comecei o trabalho sentada na arquibancada com meu computador no colo quando, miraculosamente, alguém finalmente me levou para a sala de controle, onde o mestre de cerimonias estava fazendo as apresentações. Eu me vi trabalhando em um cubico de vídro com uma visão incrível dos desfiles e do show da Shakira.